Mapa para variedade de Cana

Acompanhe conosco essa trilha que criamos para os nossos clientes de Agronegócio. Nós criamos tutorias para utilização das ferramentas GIS da ESRI, e explicações sobre como incorporá-la em seu dia a dia no campo e no escritório. Queremos que você expanda uso da plataforma e que seu uso não fique apenas a cargo do analista GIS, mas de toda a corporação, usando nossas ferramentas para auxiliar na gestão agrícola e na tomada de decisões importantes pra redução de custos e aumento de produtividade.

Veja como é muito fácil usar o ArcGIS PRO para criar um geodatabase para armazenar os dados gerados em sua usina.

Com poucos cliques, você será capaz de criar o banco de dados que guardará informações importantes para seu dia a dia, tais como variedade, data de plantio, colheita, produtividade do canavial, localização de equipamentos, dados ambientais, inventários patrimoniais e mais uma infinidade de elementos.

Adotar o geodatabase como repositório de seus dados é muito útil, pois além de grande confiabilidade, este formato permite que as informações sejam facilmente exportadas para outros sistemas que você utilize em suas atividades.

Continue seguindo a nossa trilha com os vídeos a seguir:

Do CAD para o GIS

A topografia produz diariamente uma séria de mapas no formado CAD, seja para inclusão de novas áreas ou atualização de áreas reformadas. Importe os seus arquivos CAD para uso no ArcGIS, este é o primeiro passo para alimentar sua base de mapas, incluindo atributos e diversas informações relevantes para cada talhão.

Configurando a lista de opções para tipos de cana

Para criar a visualização da variedade de cana, por exemplo, precisamos configurar quais os tipos de cana existentes nos seus talhões, utilizaremos Domínios e Subtipos para estabelecer esta característica, um ponto de atenção é listar todas as variedades de cana conforme sua base de dados existente para que posteriormente ao inserirmos novos dados eles sejam compatíveis.

Limpeza e organização dos dados

É muito importante ter uma base de dados limpa e confiável, pois a partir dela os conteúdos geográficos serão produzidos para gerar conhecimento e entendimento do seu negócio.

Na prática isso significa assegurar que os polígonos importados do CAD, são de fato geometrias fechadas e não linhas, que as linhas são integras e não conjuntos de semi-retas, garantir que não existam dados duplicados ou errados.

O formato CAD contém informações que não necessariamente serão úteis no contexto GIS, as não-geometrias que auxiliam no entendimento do CAD como cotas e labels que podem ser removidos neste momento.

As ferramentas mais utilizadas neste processo são:

Acrescentando informações no formato de tabela

Um dos processos mais úteis para uma análise geoespacial é integrar tabelas oriundas de vários sistemas, como um ERP Agrícola com as geometrias ou o desenho dos talhões. Para isto podemos incluir dados tabulares que auxiliam no entendimento.

Simbologia

Para diferenciação visual dos atributos especializados configuramos a tematização do mapa através da simbologia, desta forma podemos representar as informações de forma mais intuitiva à camada de gestão agrícola, por exemplo, permitindo uma melhor consciência espacial das variedades, ambientes de produção e produtividade.

Publicação de dados

Após finalizado o mapa temático para que possamos compartilhá-lo com outros usuários o primeiro passo é torná-lo acessível por meio do ArcGIS Online.

Criação de Web Map

A camada que fizemos o upload deverá ser salva no formato de mapa da web

Criação de Dashboards

Esta mesma camada alimentar de um dashboard é possível demonstrar com gráficos e mapa a situação dos talhões.

Segurança e compartilhamento

Após configurar o mapa e/ou dashboard é importante revisar com quem iremos compartilhar, então basta encaminhar o link.

Precisa de Ajuda?

Conte com nosso time de especialistas – Utilize este formulário

8 + 14 =

Primeira vez no site?

para obter mais informações sobre este benefício
entre em contato com o seu representando comercial